segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Onze meses depois...

Dentre tantas coisas fantásticas e com sotaque que aconteceram no Carnaval do ano passado (Recife/Olinda-PE) teve uma que me deixou encafifada (desassossegada, em bom pernambuquês) esse tempo todo: Na porta de entrada da Festa "Sem Loção", um aviso em papel A4 feito às pressas (como se não houvesse muito tempo para impedir a tragédia) impresso em negrito, sublinhado e capslock com a frase "PROIBIDA A ENTRADA DE DEBORA SECCO".
Foram meses de elocubrações até aceitar que nem sempre saberemos os porquês das coisas - assim é a vida, meus senhores - e, enfim, me rendi ao riso pelo riso.
Por sorte e para a minha boa saúde, a curiosidade que há tanto vem matando o gato, nunca me matou. Ri. Na verdade, morri de rir. Fotografei. Espalhei a história. E deixei rolar...


[Corta a trilha sonora do frevo e do maracatu]
CENA: RIO DE JANEIRO. GERAIS. EXTERNAS. DIA/NOITE
Entra a trilha sonora do samba. Planos de paisagens do RJ. Anoitece na praia. O calçadão se ilumina. Corta para o Bairro de Botafogo. Bar lotado.
LEGENDA: Onze meses depois...
CENA: BOTECO SALVAÇÃO. INTERIOR. NOITE.
Mesa de bar. Noite festiva, animada. Maíra, Renata, Mari e Lelê comemoram o aniversário de Danielle. Todas bebem, felizes. (E o que mais a direção imaginar)

E aí que às vesperas do aniversário de 01 ano da visão daquele aviso encafifante, Lelê, pernambucana, comunica às demais personagens que terá no Rio de Janeiro uma festa muito boa de Recife chamada "Sem Loção". Dou um pulo na cadeira! (Insertar um mini-flashback). Digo que fui àquela festa. Lá mesmo, em Recife. Isso! No Carnaval do ano passado. Lelê ri cinicamente, aquele riso de quem sabe das coisas: "Então, você foi na festa da Debora Secco?"

E finalmente eu soube.

Debora Secco estava na cidade para gravar um comercial qualquer (ou algo do tipo, isso não é importante para a trama) e soube que aconteceria a festa. Hype, descolada e alternativa, teria anunciado que pretendia por lá aparecer - o que foi publicado em alguma coluna, ou revista, ou espalhou-se mesmo no boca-a-boca de sotaques de "tês" e "dês" tão queridamente pronunciados. Os organizadores da "Sem Loção", preocupadíssimos com a boa reputação da festa, teriam tratado de tomar a urgente providência. E foi assim que afixou-se na porta de entrada o fantásTico aviso: PROIBIDA A ENTRADA DE DEBORA SECCO.

Se ela foi? Jamais saberemos...
Se ela soube? Tomara. Porque a história é tão boa, tão boa, que merece ser levada na esportiva.
Eu, livre da ignorância, quase um ano depois, ri tudo de novo!

6 comentários:

Marcelo Damaso disse...

Agora que tô me lembrando daquela magrela turbinada que perguntou se eu era o cara do 'Se beber não case', dando uma olhadinha sacana enquanto mordia a ponta do canudinho de sua caipirinha. "Pô, não me enche o saco. Até que tu é gatinha, mas não tinha uma abordagem melhor?". Aí mandei pastar.

Outro dia tava no cinema e vi um cartaz do filme da 'Bruna Surfistinha'e me lembrei dessa noite, e pensei "Putz, era ela!". Se eu soubesse teria puxado papo, afinal, li um bocado das aventuras selvagens no blog da jovem surfistinha.

P.S: Quem é Débora Secco?

janaina_ra disse...

PQP, melhor impossível!!
P/ mim esse é um episódio de AS Cariocas: "Na sem loção Deborah Secco não!"
hahahahhahahaa
Tô me esvaindo de tanto rir!

janaina_ra disse...

PQP, melhor impossível!!
P/ mim esse é um episódio de AS Cariocas: "Na sem loção Deborah Secco não!"
hahahahhahahaa
Tô me esvaindo de tanto rir!

Maíra disse...

Já soube que na festa do RJ vai tr cartaz assim: proibida a entrada de Debora Secco, Suzanna Vieira e Animais Silvestres. Hahahahaha

Luena disse...

Égoa, Zir. Que episódio, hein?

Leo Lima disse...

Hahaha proibida entradas em Bruna Surfistinha. Aposentou-se. Lamentem.