segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Coisas de anos ímpares

A menina tinha cisma com anos ímpares. Sempre esperava muito deles, sabe-se lá porque cargas d´água inventou essa história, mas esse papo de ano par era tudo muito redondinho e tal. Bom mesmo era ano ímpar, tudo muito mais louco, intenso, inesperado. E assim o foi. Tudo o que planejara em 2006 não se concretizara em 2007(!). Mas tudo mesmo!
Voltou finalmente pra terrinha e logo entrou em crise de ir embora de novo;
Namoro terminou (e o Los Hermanos também...), sofreu e se recompôs em uma velocidade e intensidade que nem conhecia em si;
Afroxou laços de antigas amizades e apertou nós duradouros de novas;
Casou casais de amigos, ao menos três;
Virou tia, ao menos de dois;
Ganhou a noite, arregaçou as mangas e foi se divertir, virou baladeira (oh!), amiga dos garçons e gerentes de bares da cidade;
Virou advogada (acredita?!), cheia de reuniões e "viagens" (Conhecendo o Pará) a trabalho;
O time empacou, as alergias explodiram, viajou pra caramba, efim... TUDO DELICIOSAMENTE AO CONTRÁRIO!
A menina muito agradece a 2007. Foi nada daquilo que ela esperava e exatamente o que ela precisava.

Ótimo pra começar o ano bem em paz com o que ficou pra trás. Filme baseada no livro do Marcelo Ruben Paiva que eu resumo, muito sem jeito, como uma história de alguém que viveu intensamente cada minuto da vida como se fosse o último! Feliz Ano Velho!

Um comentário:

Jo disse...

Não existe lógica para os planos feitos na virada do ano, é mt gostoso qd tudo da certo, mesmo nao se planejando nada, mas tb é tao bom qd tudo o q planejamos dá certo... Comentário igual ao ano ímpar, malucão!! rsrsrss